Desafios De Qualidade No Delivery De Hortifruti

Uma potência em produção

O Brasil é, hoje, o segundo maior produtor de alimentos do mundo. Isso mesmo. E é o terceiro maior em produção de frutas. Dito isto, é de se esperar que ao menos metade de nossa população seja consumidora assídua de hortifrúti. No entanto, não é assim que funciona.

Mesmo sendo um dos grandes nomes na produção desses alimentos, apenas 40% (média) dos brasileiros consomem frutas regularmente.

Mão segurando fruta

O porquê disto? Pesquisas indicam que tal coisa acontece por motivos como: falta de tempo para selecioná-los, falta de confiança sobre outras pessoas selecionarem estes produtos por elas e falta de acesso aos produtos. 

Comendo enquanto dirige

Sobre a falta de tempo, a vida adulta toma as preocupações das pessoas, as fazendo optar mais e mais por fast-foods e comidas rápidas de serem feitas e que satisfazem mais ao paladar. Esse “imediatismo” e os hábitos de consumo induzem à compra de fast food por serviços de delivery de alimentos, porém, ao contrário destes alimentos prontos, alimentos frescos como produtos de hortifrúti sofrem maior instabilidade com sua qualidade.

Essa instabilidade está diretamente ligada ao segundo problema: confiança. Frutas, legumes e verduras, diferente de fast-food, tem uma maior “volatilidade”, ou seja, precisam de um cuidado maior de preparo, transporte e conservação. Por isso, há uma desproporcionalidade entre o delivery fast-food e o delivery hortifrúti, pois o cliente, em grande maioria dos casos, prefere selecionar a dedo os produtos, e ver por si mesmo quais estão melhores ao seu gosto.

Atual cenário das entregas de hortifrútis

O advento das entregas delivery aliada com a internet veio como uma solução que traz praticidade e comodidade para o cidadão classe média acostumado com a correria do dia a dia. A criação dos aplicativos de delivery facilitou a comunicação dos estabelecimentos com o cliente e a realização de entregas domiciliares que começaram no setor de restaurantes (fast food) e foram se expandindo para lojas, farmácias e supermercados. Esse sistema, no entanto, tem pouco destaque e eficiência quando falamos de entregas de hortifrútis.

Homem segurando pimentão vermelho

Para o economista Claudio Felisoni de Angelo, o setor de delivery, que já faz parte da rotina dos consumidores que buscam imediatismo e evitam pegar filas em lojas físicas, ganha ainda mais força na quarentena. Com os clientes dentro de casa, lojas hortifrútis e quitandas começaram a cadastrar seus produtos em aplicativos de entregas.

Mesmo assim, os clientes preferem ir à loja física, pois a seleção de frutas, legumes e verduras traz consigo a necessidade de escolha de produtos de qualidade específicos as vontades do cliente. Algumas pessoas, por exemplo, preferem comprar um cacho de bananas mais verdes para não estragar rápido…outros preferem mais maduros para consumir no dia. O cliente também quer ter a possibilidade de escolher a dedo o tamanho dos legumes que vai levar para casa para evitar desperdícios, além de ter confiança da qualidade do que está levando para casa.

Read More